Rede Morena, o Portal do Cacau
Rede Morena

O ASSASSINATO DO JORNALISTA MANOEL LEAL

Como foi o assassinato de Manoel Leal

Página 1
Jurista aponta falhas e omissões
Página 2
A investigação federal
Página 3
Os suspeitos e os investighadores
Página 4
O que fizeram e as falhas da Federal
Página 5
Falhas e omissões do delegado
Página 6
Falhas do promotor público e conclusão

Volta

As falhas do Inqueérito


Investigação federal
     No dia 26 de março a imprensa publica nota da Fenaj anunciando um ofício que recebera do Ministro da Justiça Iris Resende, onde constava que a Polícia Federal de Ilhéus tinha feito uma investigação paralela e apontava como autores do crime Mozart Brasil, Roque Cardoso Souza e Marcone Sarmento.
     A federal descobriu que a caminhonete usada no crime era de Mozart, placa HZF 8016 de Simão Dias-SE, que o suspeito tinha uma conta bancária 213.545-1 em Araças-BA e que o pagamento pelo crime pode ter sido usado na recente compra de um imóvel naquela cidade.
     Mozart e Roque são interrogados duas vezes, com flagrantes contradições.
     Duas testemunhas reconhecem, por foto, Marcone Sarmento como um dos homens que estavam na caminhonete vista no dia do crime. Uma delas reconhece também Thomaz Iracy Guedes como o motorista da caminhonete. A outra diz que ele era "muito parecido com o motorista da caminhonete".
     Uma terceira testemunha reconhece Thomaz Iracy como uma das pessoas que viu na caminhonete e afirma que uma ou duas semanas depois o viu de novo, bebendo em um bar do São Caetano.

Sobre o crime
     O jurista afirma que trata-se, obviamente, de crime de mando, estudado minunciosamente e com antecedência para garantir resultados, sigilo e dificuldade na elucidação. A execução de crimes deste tipo é sempre confiada a profissionais que inclusive têm relacionamento com pessoas influentes, ambição e ao mesmo tempo facilidade de gastar sem medidas, geralmente registrando seus bens em nome de outras pessoas, especialmente parentes.
     Não raro são prestadores de serviço a empresas grandes, inclusive na área de segurança, com regalias especiais. Geralmente simpáticos e prontos para servir pessoas influentes, é comum que sejam ligados a entidades policiais ou informantes delas. Também é comum que já tenham respondido a inquérito ou processo sem receber punição.


©2000 Radio Morena - Este portal pertence à Rádio Morena de Itabuna, Bahia, Brasil. Se quiser entrar em contato conosco, mande fax para +55 (0)73 613-9807 ou e-mail para master@redemorena.com.